Busca sem resultado
jusbrasil.com.br
1 de Março de 2024

Ordem de Portugal encerra acordo para atuação de advogados brasileiros

OAB afirma que tomará as medidas cabíveis para defender os direitos dos profissionais brasileiros aptos a advogar em Portugal.

há 8 meses

A Ordem dos Advogados Portugueses (OAP) decidiu romper o acordo de regime de reciprocidade para inscrição de advogados brasileiros que desejassem atuar em Portugal. A decisão passou a vigorar nesta quarta-feira, 5.

O regime de reciprocidade permitia que advogados inscritos na OAB se inscrevessem também na OAP, sem a necessidade de realizar estágio obrigatório ou prova de agregação. Da mesma forma, advogados portugueses poderiam se inscrever na OAB. O processo era meramente administrativo, sem a necessidade de validação de diploma ou realização de prova.

Imagem Arte Migalhas

Ordem de Advogados portuguesa rompe acordo de reciprocidade com OAB.(Imagem: Arte Migalhas)

Segundo a Ordem de Portugal, "embora possa ter existido uma matriz de base comum aos ordenamentos jurídicos de ambos os países, constata-se que em Portugal têm sido adotadas opções legislativas muito distintas das que são implementadas no Brasil, até por força da aplicabilidade e transposição para o Direito interno português do Direito da União Europeia, o que, inevitavelmente, tem contribuído para que ambos os ordenamentos jurídicos se afastem e tenham evoluído em sentidos totalmente diferentes".

A Ordem do Brasil afirma que o rompimento foi unilateral. O presidente, Beto Simonetti, destacou que "a mentalidade colonial já foi derrotada e só encontra lugar nos livros de história". Anunciou, ainda, que a OAB tomará todas as medidas cabíveis para defender os direitos dos profissionais brasileiros aptos a advogar em Portugal.

"A OAB acredita que o diálogo respeitoso, fundamentado na igualdade entre as nações, é o caminho para o equacionamento de qualquer discordância momentânea."

Dados

Atualmente, mais de 9,3% dos advogados registrados em Portugal são brasileiros. Os dados foram fornecidos pela OAP e publicados pela Folha de S.Paulo.

Dos cerca de 34 mil profissionais inscritos na instituição, 3.173 são brasileiros. Desses, quase 60% estão concentrados na região de Lisboa.

As cifras representam um aumento de quase 482% em relação aos 536 brasileiros que estavam inscritos na entidade portuguesa em 2017, ano em que a imigração do Brasil voltou a crescer em Portugal.

"Pegos de surpresa"

Sobre o tema, conversamos com Fernanda Moura (@fernandamoura.adv), advogada brasileira que atua em Portugal. Ela revela que o anúncio do fim da reciprocidade pegou a todos de surpresa, e que havia rumores de que algo poderia mudar no processo, mas que não se imaginava a cessação do acordo.

Assista.

https://www.youtube.com/embed/8scd1HGSj-g?autoplay=1

Anúncio unilateral

Confira a manifestação de Beto Simonetti sobre o encerramento do acordo:

"O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) foi surpreendido, nesta terça-feira (4/7), pela decisão da Ordem dos Advogados Portugueses (OAP) de romper, unilateralmente, o acordo de reciprocidade que permitia a inscrição de advogados brasileiros nos quadros da advocacia de Portugal e vice-versa.

Estava em curso um processo de diálogo iniciado havia vários meses com o objetivo de aperfeiçoar o convênio, uma vez que a realidade demográfica, social, legislativa e jurídica dos dois países evoluiu desde a assinatura do acordo. A OAB, durante toda a negociação, se opôs a qualquer mudança que validasse textos imbuídos de discriminação e preconceito contra advogadas e advogados brasileiros. A mentalidade colonial já foi derrotada e só encontra lugar nos livros de história, não mais no dia a dia das duas nações.

A cooperação e amizade entre Brasil e Portugal, inclusive na advocacia, têm resultado em inúmeros benefícios para ambos os países e, sobretudo, para suas cidadãs e cidadãos. A OAB acredita que o diálogo respeitoso, fundamentado na igualdade entre as nações, é o caminho para o equacionamento de qualquer discordância momentânea. A prioridade da OAB é a defesa e o fortalecimento das prerrogativas profissionais, não importa onde tenha que atuar para assegurá-las.

Tendo em vista o anúncio unilateral, a OAB tomará todas as medidas cabíveis para defender os direitos dos profissionais brasileiros aptos a advogar em Portugal ou que façam jus a qualquer benefício decorrente do convênio do qual a Ordem portuguesa está se retirando.

Paralelamente, a Ordem dos Advogados do Brasil buscará a retomada do diálogo, respeitando a autonomia da Ordem dos Advogados Portugueses e compreendendo que a entidade europeia enfrenta dificuldades decorrentes de pressões governamentais."

Beto Simonetti, presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)

Fonte: Migalhas

  • Sobre o autorQualidade na defesa de seus direitos
  • Publicações258
  • Seguidores207
Detalhes da publicação
  • Tipo do documentoNotícia
  • Visualizações92
De onde vêm as informações do Jusbrasil?
Este conteúdo foi produzido e/ou disponibilizado por pessoas da Comunidade, que são responsáveis pelas respectivas opiniões. O Jusbrasil realiza a moderação do conteúdo de nossa Comunidade. Mesmo assim, caso entenda que o conteúdo deste artigo viole as Regras de Publicação, clique na opção "reportar" que o nosso time irá avaliar o relato e tomar as medidas cabíveis, se necessário. Conheça nossos Termos de uso e Regras de Publicação.
Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/noticias/ordem-de-portugal-encerra-acordo-para-atuacao-de-advogados-brasileiros/1887763340

Informações relacionadas

Tassio Patrese, Advogado
Notíciashá 8 meses

STF julga constitucionalidade do artigo 59-A, da CLT, e a escala de trabalho de 12x36 pode ser estabelecida por acordo individual sem a participação de sindicatos.

Petição Inicial - TJSP - Ação de Medicamentos ,,, - Procedimento Comum Cível

André Raposo Sociedade de Advocacia, Advogado
Notíciashá 8 meses

Manifestação da OAB sobre rompimento de cooperação pela Ordem de Portugal

Tribunal de Justiça do Ceará
Peçahá 4 meses

Petição Inicial - TJCE - Ação Estado do Ceará - Cumprimento de Sentença - de Ministério Público do Estado do Ceará contra Estado do Ceará

Paulo Ricardo Ludgero, Advogado
Notíciashá 8 meses

Ordem dos Advogados Portugueses rompe acordo de reciprocidade com Ordem dos Advogados do Brasil

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)