Busca sem resultado
jusbrasil.com.br
15 de Abril de 2024
    Adicione tópicos

    Veículos de transporte escolar deverão ter até 10 anos de uso

    Publicado por Senado
    há 11 anos

    Os veículos destinados ao transporte escolar deverão ter, no máximo, dez anos de fabricação, segundo determina o Projeto de Lei do Senado 67/12, de autoria do senador Paulo Bauer (PSDB-SC), que obteve nesta terça-feira (6) parecer favorável da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE). O projeto ainda será examinado, em decisão terminativa, pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

    A proposta incui parágrafo único no artigo 136 da Lei 9503/97, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro. A mudança passará a valer, segundo o texto aprovado, 365 dias após a publicação da futura lei, resultante da aprovação final da matéria.

    O relator da matéria, senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), observou no parecer favorável que cabe ao Poder Público zelar para que o transporte de alunos seja feito com a maior segurança. E um dos componentes dessa segurança, recorda o senador, é o uso de veículos em perfeito estado.

    - Com mais de dez anos de utlização, os veículos, mesmo periodicamente revisados, já não oferecem a confiança necessária - afirmou Aloysio.

    Ao comemorar a aprovação do projeto pela comissão, Bauer disse ter ficado feliz com o apoio do Ministério da Educação à proposta.

    - É um projeto importante para a educação, mas ainda mais para os alunos, a quem precisamos dar segurança. Ainda existem administradores públicos que acham que transporte escolar pode ser feito de qualquer maneira, sem pensar na segurança dos alunos - disse Bauer.

    O presidente da comissão, senador Roberto Requião (PMDB-PR), considerou o projeto "extremamente interessante" e lamentou que, em alguns municípios do Paraná, existam veículos destinados ao transporte escolar sendo utilizados para o transporte também de portadores de doenças infecto-contagiosas.

    Vida escolar

    Na mesma reunião, a comissão começou a discutir o PLS 189/12, de autoria do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que estabelece penalidades aos pais ou responsáveis que não comparecerem a reuniões de pais e mestres nas escolas de seus filhos. O projeto contou com voto favorável, com emendas, do relator, senador João Capiberibe (PSB-AP). Mas o texto só será examinado na próxima reunião da comissão, uma vez que Requião concedeu vista coletiva da matéria.

    Logo após a apresentação do voto favorável do relator, Requião comentou que só teria faltado ao projeto "determinar ao pai que faltasse às reuniões ajoelhar no milho", de tão rigoroso. O senador Tomás Correia (PMDB-RO) questionou a constitucionalidade do projeto e lembrou que os pais trabalhadores teriam de comparecer de dois em dois meses à escola dos filhos, muitas vezes distantes de seu local de trabalho.

    Em defesa da sua proposta, Cristóvam considerou importante que os pais não apenas deixem os filhos na escola, mas participem da vida escolar.

    - O que realmente prejudica o trabalhador é ele não receber escola de qualidade para seu filho - argumentou Cristóvam.

    A senadora Ana Amélia (PP-RS) elogiou a preocupação do autor com a inclusão social e a educação, mas defendeu o estímulo à presença dos pais na escola - e não uma punição aos que não forem. Paulo Bauer, por sua vez, ponderou que a imposição de penalidade financeira, prevista no projeto, deveria ocorrer somente no caso dos pais que se negassem a comparecer à escola quando chamados. Por fim, o senador Cícero Lucena (PSDB-PB) recordou o papel que pode vir a ser desempenhado pela tecnologia da informação - por meio, por exemplo, de mensagens de texto no celular - na aproximação com os pais de alunos.

    • Publicações54073
    • Seguidores268538
    Detalhes da publicação
    • Tipo do documentoNotícia
    • Visualizações24330
    De onde vêm as informações do Jusbrasil?
    Este conteúdo foi produzido e/ou disponibilizado por pessoas da Comunidade, que são responsáveis pelas respectivas opiniões. O Jusbrasil realiza a moderação do conteúdo de nossa Comunidade. Mesmo assim, caso entenda que o conteúdo deste artigo viole as Regras de Publicação, clique na opção "reportar" que o nosso time irá avaliar o relato e tomar as medidas cabíveis, se necessário. Conheça nossos Termos de uso e Regras de Publicação.
    Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/noticias/veiculos-de-transporte-escolar-deverao-ter-ate-10-anos-de-uso/100166668

    Informações relacionadas

    Camila Moreira, Pedagogo
    Artigoshá 6 anos

    Transporte Escolar na Educação Infantil

    Respondida consulta sobre uso de ônibus escolar em finalidades diversas

    TCE/SC encontra ônibus escolar com mais de 30 anos em municípios

    Carlos Eduardo Rios do Amaral, Defensor Público
    Artigoshá 8 anos

    Transporte escolar, garantia de acesso à educação

    Diagnóstico revela condição precária do transporte escolar rural de Mozarlândia

    6 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

    Acho justo esta proposta so que muitos transportadores autônomos não teriam condições financeiras para isso tem uma proposta em votação que para comprar veículos escolares novos o governo teria que dar uma isenção de impostos como e feito no táxi ai sim teria condições de trocar com frequência os veículos sobre a idade 10 anos acho pouco tempo de rodagem ainda mais que a grande maioria desses veículos são os proprietários que dirigem bom essa e minha opinião meu nome e fernando tranpordador Escolar tenho 21 anos de profissão e trabalho na cidade de Valparaíso de Goiás. continuar lendo

    Acho que seria ótimo se tivéssemos isenção de impostos e linhas de bndes para aquisição dos veículos! Embora que um veículo de transporte Escolar rode bem menos do que qualquer outro transporte!
    Também seria bom que o governo criasse uma lei . Que qualificasse como CRIME, o transporte irregular (clandestino) de alunos.
    Assim ia coibir essa corja de oportunistas que estão transportando crianças em veículos particulares sem nenhuma qualificação para o exercício da profissão! continuar lendo

    Eu particularmente acho um absurdo
    Nas condições atuais em que o País atravessa, fica inviável essa proposta, pois não temos condições de ficarmos trocando de dez em dez anos. continuar lendo

    Absurdo de quem não sabe das demadas da categoria, até hoje não temos os mesmos descontos que os taxistas para compra de veículos 0 km.
    O tempo de uso de nada vale sem fiscalização, é só cumprir às leis que temos.
    Um veículo com 5 anos de uso pode estar pior que um veículo com 15 anos, depende dos cuidados do proprietário.
    Mas cadê a fiscalização para averiguar isso?
    Proucure criar uma lei que tenha base verdadeira pois a vida útil de um veículo pode ser infinita. continuar lendo