Busca sem resultado
jusbrasil.com.br
1 de Março de 2024
    Adicione tópicos

    STJ: banca pode exigir atualização lgislativa posterior ao edital, desde que relacionada à disciplinas contempladas no instrumento convocatório

    há 13 anos

    Trata-se de decisão proferida pelo Tribunal da Cidadania, em sede de RMS 33191 (Recurso em sede de Mandado de Segurança).

    EMENTA - PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE SEGURANÇA. LITISCONSORTE ATIVO. CONCURSO PÚBLICO. CITAÇAO DOS DEMAIS CANDIDATOS. DESNECESSIDADE. VIOLAÇAO DO EDITAL. NAO OCORRÊNCIA. 1. Cuida-se de mandado de segurança em que o Impetrante busca anular questão oral realizada em concurso público para Promotor de Justiça do Estado do Maranhão . 2. PRELIMINAR : falta de intimação pessoal do MP Estadual do acórdão que denegou a segurança. Não ocorrência. Prejuízo não demonstrado. Nulidade afastada. 3. PRELIMINAR : a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça é firme no sentido de que os demais candidatos do concurso público, ainda que aprovados, detêm mera expectativa de direito de serem nomeados, inexistindo, portanto, a necessidade de figurarem como litisconsortes ativos da autoridade impetrada. 4. MÉRITO : Determina o edital o bloco de matérias que integram a fase oral do concurso, dentre elas, direito civil e o subitem "adoção", não fazendo referência, expressa, ao tema relacionado com o "Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA". 5. Possibilidade de se formular pergunta oral que remete diretamente ao art. 50, 13, do ECA, pois à época da realização do exame já estava vigente o art. 1.168 do Código Civil, que tem a seguinte redação: "A adoção de crianças e adolescentes será deferida na forma prevista pela Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990 Estatuto da Criança e do Adolescente " . (Redação dada pela Lei nº 12.010, de 2009). 6. É cabível a exigência, pela banca examinadora de concurso público, de legislação superveniente à publicação do edital, quando estiver de acordo com as matérias declinadas no edital de abertura .

    Nossos Comentários :

    A exigência de concurso público é previsto expressamente pela Constituição Federal, em seu art. 37, II. Trata-se de processo administrativo que visa a investidura em cargos e empregos públicos e, como tal. Vale lembrar, também, que a Lei nº 9.784/99 (processo administrativo federal), se aplica aos concursos públicos.

    Como processo administrativo, deve observância a determinados princípios, também constitucionais. São eles: isonomia, publicidade, moraidade, contraditório, ampla defesa, motivação, razoabilidade, proporcionalidade e vinculação ao edital.

    Este último, deve ser mais minuciosamente analisado, pois, relaciona-se diretamente com a decisão proferida, objeto de estudo.

    Ora, na praxe jurídica, o edital é a lei do concurso, de forma que todos os atos que envolvam o certame devem obediência a ele. Partindo desta premissa, o entendimento até então pacífico era no sentido de que a banca examinadora apenas poderia cobrar a legislação prevista no edital, não sendo possível exigir do candidato o conhecimento de novas leis, vigentes após a publicação desse e, consequentemente, por ele não previstas.

    A decisão proferida pelo Relator, Min. Humberto Martins traz alteração nesta premissa. A atualização legislativa posterior à publicação do edital pode ser cobrada, mesmo não estando por ele prevista, desde que guarde relação com o conteúdo programático do edital.

    De acordo com os fundamentos apresentados, mesmo na situação acima, o princípio da vinculação ao edital estaria sendo obedecido, justamente pelo fato de a nova legislação estar relacionada às disciplinas contidas no instrumento convocatório.

    • Sobre o autorTradição em cursos para OAB, concursos e atualização e prática profissional
    • Publicações15364
    • Seguidores876306
    Detalhes da publicação
    • Tipo do documentoNotícia
    • Visualizações9366
    De onde vêm as informações do Jusbrasil?
    Este conteúdo foi produzido e/ou disponibilizado por pessoas da Comunidade, que são responsáveis pelas respectivas opiniões. O Jusbrasil realiza a moderação do conteúdo de nossa Comunidade. Mesmo assim, caso entenda que o conteúdo deste artigo viole as Regras de Publicação, clique na opção "reportar" que o nosso time irá avaliar o relato e tomar as medidas cabíveis, se necessário. Conheça nossos Termos de uso e Regras de Publicação.
    Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/noticias/stj-banca-pode-exigir-atualizacao-lgislativa-posterior-ao-edital-desde-que-relacionada-a-disciplinas-contempladas-no-instrumento-convocatorio/2670555

    Informações relacionadas

    Daniel Alves da Silva Assunção, Advogado
    Artigoshá 3 anos

    Legislação que entrou em vigor após a publicação do edital, pode ser cobrada em prova de concurso?

    Superior Tribunal de Justiça
    Jurisprudênciahá 7 anos

    Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL: REsp XXXXX CE XXXX/XXXXX-5

    Superior Tribunal de Justiça
    Jurisprudênciahá 13 anos

    Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO: AgRg no Ag XXXXX MG XXXX/XXXXX-8

    Tribunal Regional Federal da 1ª Região
    Jurisprudênciahá 4 anos

    Tribunal Regional Federal da 1ª Região TRF-1 - APELAÇÃO CIVEL (AC): AC XXXXX-26.2014.4.01.3400

    Willams Melo , Advogado
    Modeloshá 4 anos

    Mandado de Segurança - Anulação de questão de concurso público - Com pedido liminar

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)